Projeto Sensorium: do mar para o rio

May 11, 14 • Eventos, ProjetosNo Comments

Sensorium é um projeto de arte, tecnologia e inovação que se propõe a trabalhar com 3 grandes eixos de ação: tecnológico, ambiental e de criação artística. No eixo tecnológico fizemos experimentações tanto com software livre e linguagens de programação quanto com hardware livre, sensores e GPS. No eixo ambiental, trabalhamos com noções de lugar e espaço, criando formas de perceber o meio ambiente. Dentro das questões ambientais nosso foco foi nas questões relativas à água, seus usos, características e sensações. No terceiro eixo, o de criação artística, desenvolvemos as questões estéticas da experimentação.

Realizado entre setembro de 2012 e dezembro de 2014, nossa proposta envolveu 4 grandes fases de execução: 1º fase: Criação de um dispositivo móvel com sensores para interação no meio ambiente, 2º fase: performance – ação com a comunidade, 3º fase: visualização dos dados coletados, 4º fase : exposição do projeto artístico e seu processos.

  • Criação de um dispositivo móvel com sensores para interação no meio ambiente

10056188363_a72a9afc17_b1º fase
Curadoria: Toni Oliveira
Local: Grupo Ecoarte – IHAC/UFBA

Esta é a fase do projeto da criação da obra artística em si, do objeto de experimentação artística e tecnológica. Nessa etapa do projeto a equipe do Ecoarte desenvolveu um dispositivo móvel portátil para captação e visualização em tempo real de dados diversos referentes ao meio ambiente. Os princípios orientadores desse desenvolvimento serão a priorização do uso de tecnologias (software e hardware) livres e a facilidade operacional do dispositivo tanto quanto da leitura e interpretação dos dados por ele gerados. A intenção é que o dispositivo produzido, a despeito de trabalhar com dados complexos como os ambientais, permita que pessoas não ligadas à pesquisa científica possa experimentá-lo e compreender os conteúdos por ele gerados.

Os membros da equipe envolvidos nessa etapa possuem experiência no desenvolvimento de dispositivos DIY bem como de programação computacional. O uso do micro-controlador Arduino (hardware livre) permitiu a conexão simultânea dos diversos sensores de leitura (temperatura do ar e da água, umidade relativa do ar, oxigênio dissolvido da água, níveis de intensidades sonoras, níveis de CO2, GPS, uv…) à dispositivos de interpretação desses dados para sua visualização (tablets). As linguagens de programação Processing e Wiring foram as plataformas de desenvolvimento dos códigos instalados nos computadores e tablet. As duas linguagens possibilitam a utilização dos códigos em sistemas operacionais diversos (Linux, Windows, OS e Android) além de serem código aberto.

Para a criação deste dispositivo sensorial, contamos com consultorias de design de interface, imagem e audiovisual, design sonoro, programação, eletrônica, artes visuais e oceanografia física.
Aqui temos alguns post da construção do dispositivo no site do Ecoarte.

  • Performance –Ação Colaborativa / Oficina

2º fase
Curadoria: Fernando Rabelo e Jean Cardoso
Local: Grupo Ecoarte – IHAC/UFBA, Salvador; oiKabum, Salvador; barco (trajeto Salvador-Cachoeira), CAHL/UFRB, Cachoeira.

acoes_sensoriumEsta foi a fase da experimentação artística do dispositivo móvel criado para o projeto. Fizemos uma ação em Salvador e em Cachoeira, além do trajeto de barco de uma cidade a outra. A ação foi quando este dispositivo circulou pelas ruas e teve seu primeiro contato com o público. Fizemos a ação em formato de oficina de 3 dias em Salvador e 3 dias em Cachoeira. No primeiro, dia mostraremos o dispositivo, como foi criado, como funciona e suas possibilidades de captação de dados. No segundo e terceiro dia, o grupo fez a performance deste dispositivo no espaço público coletando os dados e interagindo com a comunidade. Guiados por facilitadores que propuseram diferentes inquietações estéticas desta ação, grupo experimentou o dispositivo, sua interatividade com o público e produção de dados. A ação em Salvador foi realizada na OiKabum, espaço da Escola de Arte e Tecnologia e em Cachoeira na UFRB.

Entre uma oficina e outra, fizemos o percurso saindo do mar para o rio, parte importante de nosso projeto. Foi uma experimentação artística deste trajeto de Salvador a Cachoeira, fizemos a viagem com o dispositivo coletando dados e criando o mapa de ligação das duas localidades. Desde 2009, trabalhamos com arte e tecnologia tendo o mar como objeto de estudo e a cartografia como inquietação artística. Agora com Sensorium, seguimos trabalhando com mapeamento, meio ambiente e a água, mas fazemos o trajeto a chegar no rio.

A interação com o público, as formas como as pessoas interagem e se utilizam deste dispositivo é ponto chave na execução destas ações/oficinas. Estas atuações serão documentadas como parte do processo criativo. Nosso dispositivo teve uma tela para visualizar em tempo real o que está acontecendo no meio ambiente, além disso, o dispositivo possuía olhos e orelha que gravaram de forma experimental este espaço percorrido, recriando, posteriormente, noções deste lugar, do ambiente sentido. Foi  uma experiência do fruidor com o meio ambiente, o fruidor com o dispositivo, o dispositivo e os sensores, os dados e sua visualização, o entorno e o dispositivo.
Aqui temos alguns post das ações do Sensorium no site do Ecoarte.

  • Visualização dos dados coletados

Screen-shot-2013-11-05-at-5.47.50-PM-500x2323º fase
Curadoria: Karla Brunet
Local: Grupo Ecoarte – IHAC/UFBA, Salvador.

Esta é a fase onde fizemos uma análise posterior dos dados coletados na ação na segunda fase. Tendo em vista que o levantamento de dados foi realizada por meio de um dispositivo móvel composto de sensores e ferramentas de geolocalização, os dados coletados se configuraram em informações alfanuméricas e meta-dados de difícil interpretação para o público geral em seu estado bruto. Neste sentido, a adequação das referidas informações à linguagens acessíveis e de fácil compreensão para usuário comum é de fundamental importância para a concretização e tangibilidade dos experimentos realizados. No eixo de criação artística – espaço de desenvolvimento dos aspectos estéticos-experimentais – a visualização das informações coletadas a partir de experiências interativas que promovam reflexões e amplificações estéticas dos levantamentos realizados é igualmente relevante para a fruição da obra na esfera da recepção.

Para a realização da etapa de visualização, portanto, prevemos três momentos consecutivos a saber:  elaboração do conceito e design da interface, programação e material de apoio para visualização dos dados na exposição. No tocante à etapa de conceito e desenvolvimento interfacial, discutiremos os caminhos conceituais que melhor concretizam a experiência estética idealizada nos experimentos de coleta de dados, os modos de interação, os dispositivos/meios de visualização da obra e a hierarquia da informação. Na programação da interface foram contemplados os esforços para a viabilização do experimento nos meios para os quais foi projetado no estágio anterior. Para esse fazer, trabalhamos com manipulação de linguagens e softwares específicos voltados ao desenvolvimento técnico da interface concebida. Nesta fase, recebemos a consultoria de visualização e programação em Javascript de Santiago Ortiz, programador, matemático e expert em visualização de dados. Como complemento para os modos de visualização concebidos foram elaborados pôsteres, vídeo mapa e instalações interativas voltadas à amplificação sensorial dos modos de visualização e da experiência de acesso dos resultados obtidos no projeto como um todo.

  • Exposição do projeto artístico e seus processos

4º fase
Curadoria: Danilo Barata e Karla Brunet
Local: Grupo Ecoarte – IHAC/UFBA e exposição realizada no Museu de Arte Moderna da Bahia MAM/BA.
expo_sensoriumEsta foi a fase de apresentação ao público dos resultados e processos de criação do projeto artístico Sensorium. Esta exposição é composta por 4 materiais: o dispositivo móvel em si, o making of do dispositivo, a documentação das ações na comunidade e as visualizações dos dados.

Aqui apresentamos o dispositivo e seu sensores captando os dados do espaço expositivo, a mobilidade se perde no espaço da galeria mas o fruidor poderá perceber a obra/objeto e entender seu funcionamento. Apresentamos um pouco do making of do dispositivo para fazer conhecer o caráter artesanal e experimental desta criação. Ao mesmo tempo, a documentação das ações nas 3 estâncias: Salvador, Cachoeira, barco foi outro ponto contemplado nesta exposição através de vídeos e uma instalação interativa.

A visualização de dados foi apresentada de forma interativa onde o fruidor teve a oportunidade de conhecer de diversas formas estes dados, escolhendo o que queria entender e que parte deste ambiente provar. Cartazes, infográficos impressos e mapas, também, fizeram parte desta fruição.
Aqui temos alguns posts sobre as obras da exposição do Sensorium no site do Ecoarte.

Veja mais no http://sensorium.ecoarte.info/

 

Tags: , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *