Tecnologia social e Arte no Agora / ÁgoraArt and Social Technology at Agora-Ágora

Jul 7, 11 • EventosNo Comments

Juan e eu participamos do projeto AGORA / ÁGORA criação e transgressão em rede como curadores convidados da parte de tecnologia social, para tal tivemos que selecionar 5 projetos para participarem da seção rede aberta.

Os projetos selecionados foram: Banco Común de Conocimientos (BCC)Fora do Eixo, Guifi.net, MapKibera e Metareciclagem. Criamos o http://tecnologiasocial.tumblr.com/ para documentar um pouco os projetos, nossa ideia é talvez seguir catalogando projetos de tecnologia social neste local.

Neste sábado, dia 2 de julho, participei juntamente com Juan Freire e Felipe Fonseca do debate “Estratégias para a autonomia: Tecnologia e Innovaçao social” organizado pelo projeto AGORA / ÁGORA e realizado no  Santander Cultural, em Porto Alegre. Minha fala foi sobre Arte e Tecnologia Social, onde apresentei os projetos Metareciclagem e MapKibera, enquanto que Juan exemplificou sua fala com Banco Común de Conocimientos (BCC)Fora do Eixo, Guifi.net. Abaixo coloco o resumo proposto e minha apresentação.

Tecnologia social e Arte

Projetos de arte e tecnologia, arte conceitual e arte “engajada” trabalham com questões sociais criando plataformas para soluções de problemas do cotidiano. Também, vemos facilmente isto nas intervenções urbanas com mídia locativa onde a arte atua como um propulsor para repensar a cidade. Tanto arte como processo quanto arte social não é nenhuma novidade, como também não é inusitado arte e experimentação tecnológica, mas podemos perceber uma crescente vertente de artistas que unem estas duas correntes.

Artistas trabalhando com metareciclagem, circuit bending, tecnologia barata, software e hardware livre, DIY são exemplos desta mistura da tecnologia social e arte. A partir destes experimentos surgem novas práticas, novos modelos de negócio e de produzir cultura.  A arte como processo se assimila ao que definimos como tecnologia social, é também uma forma de criar plataformas, métodos e vivências que apresentam uma intenção pré-definido. O slogan “Art for art’s sake” não se aplica aqui, a arte tecnológica contemporânea está conectada com seu tempo e espaço. Exemplos disto são as performances audiovisuais com circuit bending de Panetone,  as gambiarras tecnológicas de Fernando Rabelo, as oficinas IMERSom de Ricardo Brazileiro e Ricardo Ruiz, como também projetos colaborativos como o Ada Machine de Cinthia Mendonça e colegas ou Narrativas Digitais do grupo Ecoarte e RMP.

Proponho no Talkshop do Agora/Ágora algumas questões a cerca da tecnologia social e arte.  Para as discussões do Talkshops trago algumas perguntas: A arte traz inovações tecnológicas e novos formatos de tecnologia social?  É função da arte criar processos para solucionar problemas sociais? Artistas podem desenvolver novas metodologias e tecnologias aplicáveis a outros segmentos da sociedade? Será que a tecnologia social se utiliza dos mesmos processos de criação da arte tecnológica?

 

Tags: , , , , , , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *